Deputada defende parceria com MEC para manter plataforma de gestão da educação municipal

O presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Alessio Lima, manifestou sua preocupação com o futuro da Plataforma Conviva Educação, em audiência pública da Comissão de Educação da Câmara nesta terça-feira (3). A plataforma digital é coordenada pela Undime, mas patrocinada por 12 entidades e fundações privadas, como Instituto Natura, Fundação Lemann e Fundação Roberto Marinho. Inaugurada em 2013, ela tem o objetivo de auxiliar os prefeitos com a gestão escolar.  A deputada Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO) defendeu uma parceria com o Ministério da Educação para evitar que a iniciativa possa sofrer alguma descontinuidade. Atualmente, a gestão da plataforma está com o Instituto Natura. O custo anual é de R$ 3 milhões.

De acordo com a coordenadora do projeto, Anita Stefani, 2.400 dos 5.570 municípios do País usam a plataforma mensalmente. Nela, os secretários municipais podem encontrar dados trabalhados do censo escolar, trocar experiências com colegas e ter acesso a ferramentas de gestão, como a elaboração de cardápios de merendas. Franklis Leal, secretário de Educação de Lagoinha do Piauí, munícipio com 2.600 habitantes, disse que usou a ferramenta de cadastro dos estudantes para facilitar o controle do fluxo escolar, ou seja, das possíveis falhas na aprendizagem: “Quando o aluno começava a faltar, a diretora já via pela fotografia e já pegava uma kombi que nós temos na secretaria e já ia atrás do aluno. E com isso nosso fluxo, que era de 12%, foi reduzido para 2%. Com essa redução, tem escola que saiu de 3,8 no Ideb para 6 “, disse ele.

Já Lêda Leite, secretaria de Maurilândia, em Tocantins, disse que a plataforma facilitou a gestão do transporte escolar por meio do registro dos veículos e rotas:

“Quando a gente vai cadastrar as notas fiscais, ele já pergunta para qual ônibus, qual a placa que foi direcionado aquele gasto. Com isso, a gente conseguiu identificar quais carros estavam dando mais problemas, mais gastos que outros. E aí então o município viu que, terceirizando algumas rotas, que nos davam mais problemas, conseguimos reduzir os gastos do transporte escolar”, afirmou.

A Plataforma Conviva Educação tem como público-alvo municípios com até 50 mil habitantes — quase 70% do total.

Fonte: Câmara dos Deputados.